quarta-feira, 19 de setembro de 2012 - 0 comentários

Hoje....

(Dia de Ontem)

Hoje, foi mais um dia para esqueçer, a escola começou, novas regras, novos professores, novos colegas. Certos colegas da minha turma, parece não irem muito com a minha cara, só por enquanto que vivo em Machico, quando souberam, olharam para mim com uma cara... não sei pode ser apenas impressão minha, eu não me sinto bem comigo próprio, tenho medo, receio de me aproximar de pessoas e que estas me acabem por magoar, eu não quero sofrer outra vez e ainda continuo isolado de tudo e todos, não consigo voltar ao mundo real e ser quem eu realmente sou. Tenho muito medo, estou com a auto estima em baixo, estou inseguro que as coisas que me aconteceram, voltem a acontecer.
Há pessoas vão logo rotular as outras que são isto e aquilo .... só por serem como são, só por viverem onde vivem, (...)

No turno da tarde aconteceu uma coisa que não estava à espera, um colega meu chamado X, ia me beijando gasppor causa que ele queria ver uma coisa minha, o meu calendário dos testes e eu disse que não, e então ele disse ''Eu vou te beijar'', ele aproximou-se de mim e estava quase a o fazer, que acabei por quase lhe dar uma chapada, ele teve sorte que só chegou a levar com o meu cotovelo! Eu não estava a espera que ele fizesse isto, ele deve pensar que eu sou gay, para fazer uma coisa dessas, é uma situação embaraçosa para mim ... :(
Uma pessoa fica cada vez ''mais burra'' com esta gente, fazem cada coisa, que vou dizer, ''SEM COMENTÁRIOS''.

A única coisa que aconteceu de bom, neste dia, foi eu ter reencontrado os meus amigos da turma do ano passado, e outros que já conhecia de outras turmas, o R. e o N.

Depois das aulas reencontrei uma pessoa, a B. que não falava comigo à muito tempo, há meses, [essa pessoa deixou de falar comigo sem motivo aparente, éramos tão amigos, e ela nunca mais me tinha dito nem um ''Olá, tudo bem?'', ''Como tens estado?'', pensei que ela não falaria mais comigo para o resto da vida, pensei que ela tinha se esquecido que eu existia no mundo],  na paragem e fiquei surpreendido quando ela falou para mim, aquilo tocou-me não estava a espera que ela fala-se comigo, fomos falando sobre a escola, sobre os colegas ...

Fiquei contente por esta amizade se reactar, ao menos isso,  foi isso que me pareceu ter acontecido, tenho passado por coisas terríveis na minha vida, ao menos que haja algo de bom no meio desta imensa tristeza!

Depois apanhei o autocarro e vim para casa, cansado de rastos, devido ao calor enorme que se fez sentir todo o dia e a um dia cheio de aulas.

O pior até não foi na escola, o pior foi cá em casa, quando cheguei os meus pais começaram a mandar vir comigo, perguntaram-me como tinha corrido o dia de aulas, e eu respondi bem, depois contei que se havia de pagar coimas, se fizéssemos asneiras, e que estas eram as novas leis em vigor na escola, e depois eles dizem coisas a toa, e eu passei-me .... a certa altura, começaram a dizer que estava falando alto, que era para abaixar a voz, o meu pai estava sempre a pegar comigo, não sei porquê mas não me consigo dar bem com ele... acho que já é assim desde pequeno, pelo menos do que eu me lembre.

Depois o meu pai começou a ir buscar coisas que se passaram, do meu passado, erros que cometi e atirou-mos à cara, não gostei nada disso e saltou-me a tampa e não consegui controlar a minha raiva, a minha fúria, a minha revolta, eu detesto mas detesto que vaiam buscar as coisas que já me aconteceram, eles estão sempre a me atormentar com o passado, e eu, só desejo ''esquecê-lo'' e saber lidar com ele, e viver o presente e o futuro.

Estava em tal sítio em família a conversar a noite e depois começamos todos a discutir, os meus pais tão fartos de mim, tão a sofrer, não compreendem como posso estar assim, revoltado, com raiva e magoado, e a minha tia também começou a dar uma lição de vida a mim, que tinha de me controlar, que o tempo nos ensina, que os meus pais nem a família merece o que faço, como reajo, como ajo, as minhas atitudes para com os mais velhos e blá blá ..... eu não aguentei e explodi outra vez, super enervado com as coisas que eles me disseram, saltou-me a tampa e fiquei revoltado e falei alto!

O meu pai disse tens dois anos para melhorar, senão 18 anos podes ir te embora lá de casa, nós não te vamos sustentar, vais ter de trabalhar e viver sozinho, e sabem que mais, eu já tinha pensado em fazer isso, quando fizer 18 anos saiu da casa dos meus pais e vou para o meu próprio canto, nem que tenha de partilhar a casa com alguém, e irei trabalhar e ganhar o meu dinheiro, não tenho nenhum problema em relação a isso .... só sei que já não aguento mais isto!

Quando era para jantar eu recusei comer, com tudo o que aconteceu hoje, fiquei sem fome, perdi-a ... o meu pai passou-se e queria me obrigar a comer e ia me dar umas lambadas de correia, eu não aceitei isso, não comi nada ontem desde o lanche as 7h, ele disse assim: "Vai buscar o teu passe e dá-me e amanhã vais como quiseres, a pé e sem dinheiro para a escola'' e vais ter um castigo bem grande, disse a minha mãe, vou tirar a Internet, tudo ... ''Não sei como podes ser assim para nós, não há razões nenhumas para isto que estás a fazer''  eles pensam que não tenho razões mas tenho!

Eu podia ficar noite toda a mesa e me obrigarem a comer, eu não comia, não dava o braço a torcer, podia também não me deixarem comer o que eu queria, só ter o jantar para comer, não fazia mal,  eu nada comia, ficava com fome, mas nem 1 colher de comida metia na boca,  já em pequeno era assim!

Se uma pessoa que diz uma coisa que não gosto nada, eu tenho de responder, não me consigo controlar jamais, senão responder fico como se fosse entalado, por isso tenho de responder senão explodo.  Eu não me consigo conter e tenho de dizer na cara da pessoa o que penso, isso é incontrolável, esta raiva, esta revolta, esta angustia, esta tristeza imensa, hoje só aconteceu uma coisa de bom :(

Estou bem farto disto tudo .... não aguento mais isto, ontem à noite, não sei o que me apetecia fazer, apetecia-me cortar, gritar, beber, fugir daqui e não voltar, estou farto que me tratem como me tratam, que me rotulem, que me critiquem, por tudo o que eu faço, por tudo e por nada, que digam que sou isto e aquilo, inválido, que não sei fazer nada, que sou um inútil, que não tenho valor, que não vou ser ninguém na vida , que não presto para nada, que sou bruto (...) estou farto, fartinho de ser rotulado, JÁ CHEGA, basta, estou de rastos com isto tudo, não sei que fazer, estou perdido e desorientado ... odeio mas ODEIO mesmo que vaiam buscar o meu passado, as coisas pelas quais passei e que me aconteceram até o dia de hoje, detesto que façam isso e passo-me completamente, salta-me a tampa.
Houve pessoas no passado que deram cabo de mim, da minha pessoa, e que hoje não as consigo olhar na cara, essas pessoas fizeram-me sofrer à seria, fui muito humilhado, espezinhado e gozado por todos, fui alvo de gozo duma escola inteira, só por ser diferente, ser certinho, um betinho e não ser rebelde e fixe como os outros!

Toda a gente o fez, e conseguiu, me deitar abaixo, toda, não houve ninguém que me estendesse a mão para me ajudar e apoiar, nesta dura e complicada situação, fui guardando tudo só para mim, até ficar cheio e não contei o que se havia passado a ninguém, só acabei por contar, quando não conseguia suportar mais e mais .... quando já não aguentava, quando já não podia ver a cara dessas pessoas a frente, sentia raiva e revolta deles, só me apetecia lhes dar um par de chapadas a essa gente. Chegou a um ponto que eu já não queria ir mais para a escola, estive de rastos e ainda estou .... ser gozado por uma escola inteira, ter uma pessoa de família que inventou uma calunia horrorosa sobre mim e humilhou-me com isso, pff, foi a pior coisa que me aconteceu, ninguém, mas ninguém acreditou em mim e ficou do meu lado, todos acreditaram nela e gozaram imenso de mim, fizeram-me sofrer, trataram-me mal!


É tão triste e desolante não ter pessoas à nossa volta, dispostas a nos dar a mão, a serem nossas amigas, a nos ajudar e apoiar em tudo o que precisarmos, a ficar do nosso lado mesmo que toda a gente nos vire as costas, uma pessoa que acredite em nós e não no que os outros dizem sobre mim por aí (...) eu só precisava de uma única pessoa, e nem uma tive!

Sinto-me de rastos, triste, abandonado, só ... com poucas pessoas que me entendem, que me percebem na perfeição, eu já não aguento mais, já estou farto de discussões e não sei que faça para acabar com elas :X

Este ano está a ser um grande desastre para mim, o pior de todos, não há mais nada que não me façam, não há mais nada que não me aconteça,  malditos 16 anos, sinto imensas saudades do tempo de criança quando tinha 4, 5 anos era tudo tão diferente, tão perfeito, tão bom ...muito mesmo, esses eram os bons e melhores tempos da vida!

Já não posso mais com isto, AJUDEM-ME por favor!



0 comentários:

Enviar um comentário