sábado, 14 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Ainda hoje... (Resumo da minha vida)


As coisas foram se compondo...porém, há sempre um MAS... ( como em todas as histórias)

- Sinto uma enorme saudade dos tempos de infância que belos que eram esses, ao menos todos me adoravam e gostavam de mim, agora já não é a mesma coisa, tenho praticamente uma família inteira que não gosta de mim por eu ser aquilo que eu sou, e também preocupações demais que vão dando cabo da vida aos poucos e poucos, mas no meio disso tudo e felizmente, ainda tenho quem me ame e goste de mim!

- Voltando um pouco atrás no tempo... há cerca um ano atrás (em Dezembro) eu próprio dizia que ia enfrentar e mudar as mentalidades das pessoas, mas com o passar do tempo muito rapidamente me apercebi que estava errado e bem errado.

- Pensei várias e várias vezes que a minha vida ia ganhar rumo e que as coisas iam melhorar mas isso não aconteceu...

- Achei que este ou aquele iriam ser o "rapaz perfeito" para a minha vida, mas não até hoje não tive nenhum relacionamento, apenas umas experiências com rapazes.

- Comecei a sair à noite contra a vontade dos meus pais este ano, e o resultado disso é: Sinto-me muito sozinho, abandonado com falta de amor e carinho, tenho um grande vazio interior, dificilmente podendo ser eliminado... Sonho que um dia possa encontrar alguém, tenho 17 anos, e ainda não tive nenhum relacionamento, apenas umas curtes com rapazes, em saídas à noite a uma discoteca LGBT, mas isso não muda o meu estado de espírito, pois quando regresso a casa após uma noite, vejo que já acabou a noite, a discoteca fechou e estou só e que não tenho ninguém comigo ao meu lado, e só me dá é vontade de chorar e ficar agarrado à almofada, quando o maior desejo era estar com o "ele" que ainda está por encontrar!

- Perdi a virgindade com 16 anos, e até me arrependo um bocado...pois já há 9 meses que não tenho contato físico com um rapaz, isto aqui é difícil de viver sendo homossexual!

- Tive um aniversário de porcaria como sempre, durante estes 17 anos de vida...oxalá que os meus 18 anos sejam super especiais!

- Só agora é que depois de saberem a minha verdadeira identidade é que as raparigas me elogiam e dizem que sou lindo!



- Elogios por ser aquilo que sou, sem medos, nem credos...




- Tudo errado! Ainda hoje me sinto mal, triste, melancólico, angustiado revoltado, sem amigos, os suposto que eu tinha deixarem de falar contigo sem motivo aparente? Sinto-me um desprezado, sinto que as pessoas só falam comigo por mero interesse... , etc.  O problema é mesmo não deixar que tudo me afete, quando eu já cresci com tudo me afetando, sempre fui muito sensível e fraco :(




- O meu sonho é viver noutro sítio, agora encontro-me a viver na ilha da Madeira, estou saturado, farto de estar cá, das pessoas, do ambiente, preciso de uma mudança, de novos ares, outro local, novas pessoas, esquecer os problemas do passado e começar uma vida nova diferente, do zero (passo a passo).

- Já não aguento decerto mais o que os meus pais me fazem passar dia após dia, cheguei aos meus limites!

- E parece que as pessoas teimam em fazer sempre o mesmo comigo: Para quê criarem ilusões? Darem falsas esperanças? Prometerem algo que não podem dar?
Porquê? O que sofro já não chega! Será preciso mais para me colocar pior? Caramba, odeio, odeio tanto isto!
Já estou triste, farto, irritado com tudo e como se isso não bastasse ainda têm de simplesmente acontecer desilusões para me colocar pior do que já estou!
CHEGA!

- Não sei se já gostei de outros rapazes, agora que me coloco a pensar nisso, não sei até que ponto já gostei de alguém de verdade que não ele (o primeiro rapaz por quem me apaixonei). Eu acho que talvez tenho um pequenino problema, ou talvez não... conheci-o gostei muito mesmo dele (como nunca tinha gostado de alguém) tudo bem, depois vou conhecendo mais gente, ... e depois mais, e acabo por ficar interessado por vários (Será isto normal? Será que sofro de poligamia? Ou talvez o mais certo é que eu te tenha amado só a ti!) Que dilema..não sei o que pensar?

- Um ano de muita angustia, sofrimento e mau estar... (Para esquecer)

0 comentários:

Enviar um comentário