sábado, 21 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Mais uma vez....sem sucesso!



Quarta-feira depois de me encontrar num estado desesperante voltei a contatar a linha de apoio LGBT e estive a contar as coisas que se passaram comigo e tentei levar as coisas a exaustão a ver se realmente a pessoa percebia a gravidade de situação e a delicadeza que se tratava... e se me podia ajudar e fazer algo por mim...mas sem sucesso!

Abaixo fica a conversa (clique em Ler Mais...)


Comecei por explicar a minha situação:
"Eu sou um jovem da Madeira... e tenho passado por inúmeras peripécias! Não tenho amigos, os que tinha deixaram de me falar...nunca mais disseram nada como se eu não existisse... E sinto-me sozinho, triste, carente, abandonado...até a data não tive nenhuma relação amorosa...A minha relação com a família é em conflito constante, pois todos me fazem sofrer... Estou mais que esgotado!
A minha mãe trata-me como se eu fosse uma criança, já tendo 17 anos, indo a caminho dos 18 anos...
Dizer-me coisas inadmissíveis, do tipo:
Os meus pais, estão sempre a controlar tudo o que eu faço, não posso estar ao pc, nem ao telemóvel, querem saber com quem ando falando e com quem falo!
Há dias estava ao telemóvel e ela meteu-se a escutar as minhas conversas, e se ando muito nas sms, ela diz-me: "Larga essa m****!, Tas a falar com quem?" Depois tenho outras pessoas que não percebem as coisas mesmo... Tão sempre a dizer que tenho que estudar, estudar e estudar - Que o resto vem depois e dá tempo, que a minha felicidade dá tempo, passam-me a vida a dizer não vás para a m**** da net, nem do facebook, isso não presta!

Querem ditar tudo o que eu devo ou não devo fazer, e dizem que a minha vida tem de ser assim...e não pode ser assado! Os meus pais também não percebem porque não gosto de sair com eles, porque como na mesa sempre a pressa e depois meto-me no meu quarto, eu até evito ao máximo sair com eles, (odeio-os, tenho nojo, vergonha de ter uns pais que me tratam assim, ainda depois de tudo o que passei em pequeno, deveriam ser eles o meu maior suporte, mas não...em vez disso só me sabem deitar abaixo) depois se saiu com a minha prima a minha mãe fica com dor de cotovelo e diz que eu saiu com outras pessoas e não com eles!"

A linha: ":As relações familiares por vezes são complicadas. 
Falas com os teus amigos sobre isso?
Esse sofrimento tem a ver com a tua orientação sexual?
E amigos que te aceitem a tua orientação sexual, tens algum/a?
Mas vais estudar para a faculdade certo?
Aí de certeza vais começar a correr melhor."

Eu disse: "Pois é verdade... e esta, está de facto muito complicada! Porque os meus pais fazem as coisas mas depois metem sempre a culpa nos outros! Sim... os amigos que tenho são praticamente virtuais, conhecidos no Fórum da rea, ou amigos de outros amigos...
Eu sinceramente já nem sei como hei de lidar com os meus pais...A única coisa que só me apetece é fazer o estágio deste curso..e PT e anular tudo o resto e em Abril quando tiver os 18, ir-me embora para Lisboa... já estou severamente farto, desta ilha, destas pessoas, desta vida inquietante e de sofrimento, preciso de recomeçar, noutro sítio, com outras pessoas...!
Sim, com os meus colegas lá na escola... que abusam a torto e direito! Já falei com professores, ja foram repreendidos mas continuam sempre a mandar boquinhas e a me fazer sofrer...
Os que tenho são todos de longe aqui é muito complicado eu fazer amigos, devido ao facto de o problema é mesmo não deixar que tudo me afecte, quando eu já cresci com tudo me afetando, sempre fui muito sensível e fraco...Os meus pais sempre fizeram de mim coitadinho e não me deixam exprimir.... nem me dar com membros da família... e isso tornou-me "anti-social", nunca mas nunca tive um amigo verdadeiro, os meus pais diziam sempre que as pessoas não prestavam que eram isto ou aquilo!
Sim julgo que sim, ou seja, talvez... isto porque se os meus pais embirrem que não me apoiam, pela escolha ser teatro e eles não gostarem e fazerem pressão bem como mais membros para esquecer isso e ir para outra área... ainda no fim de semana passado o meu pai disse-me: "Para o ano já és maior de idade, vais assumir responsabilidade das tuas coisas, eu já não vou opinar em nada...fazes o que quiseres, agora ainda és menor e tenho de te dizer o que deves fazer...", "Se as tuas escolhas forem boas o pai apoia, se não forem esquece" Ou seja... teatro para eles não é uma coisa boa... "

A linha: "Sim os pais querem sempre um profissão com uma imagem mais segura.
Mas eles não te vão apoiar nos estudos?
Já ouviste falar da amplos?
Olha ás vezes demora um bocado de tempo, até os pais se habituarem à ideia de terem um filho homossexual. Mas o mais comum é que acabem por se aceitar."
Eu disse:"E eu seriamente tenho uns felling de que eles não me vão apoiar... E vou ter de me desenrascar sozinho!Eu possuo uma conta bancaria apenas com uma boa quantia de dinheiro mas isso não dura para sempre, por isso quando for a altura de me mudar para Lisboa ou outra cidade, penso seriamente em recorrer ao abrigo LGBT - Casa Trampolim da Happier Teens! Aí ao menos sei que fico seguro, protegido, confortável...e tenho sitio para viver... e quem me ajudar no que puder...
 Duvido muito mesmo... o mais provável (100%) é não...porque eles odeiam o filho que tem por ser assim homossexual, julgam o livro pela capa, são muito conservadores e não existe nada nem ninguém que os faça mudar...
Sim já... e já contactei a Dra Margarida Faria, inclusive sabe da minha situação.... mas a minha mãe recusa o completo contato com alguém... Ela acha que é que esta certa... e o resto do mundo esta errado, e não há quem demova isso. Ela consegue sempre por-me como mau da fita bem como as outras pessoas que me aceitam... diz que são pessoas que me querem levar para o mau caminho, que não são boas pessoas, etc. A minha mãe diz-me que não tenho carácter nenhum que não sou nenhuma pessoa, que não sou nada, ofende-me ao mais alto nível, uma coisa que já percebi, é que não aceita de maneira nenhuma o facto de eu ser homossexual e por isso faz-me a vida negra. A minha mãe diz-me que a minha adolescência não é saudável, diz que é doentia. E que eu estou maluco da cabeça. A minha mãe já me disse isto mil e uma vezes: "Eu já te disse, estuda faz a tua vida arranja trabalho, se independente depois andas com quem quiseres e fazes o que quiseres da tua vida, isso não é problema nenhum para agora!! Que mania tens tu em te assumir, tu nem sabes o que queres da vida! " Depois outro facto (nem só ela bem como a parte conservadora da minha família) é o de esta estar(em) sempre a buscar o assunto mulheres para me impor,querem me obrigar a ter algo com uma mulher...
"A minha mãe disse que eu era um falso, um pobre e mal agradecido, minha tia e avo dizem que vou bater na parede, que não tenho idade para saber o que quero, que dá tempo e mais tempo, que eles a que tem razão e que um dia lhes hei dar razão...que os amigos que tenho só me deitam a perder, que devia ter vergonha....E que a minha mãe sacrificou-se tanto por mim e que eu não lhe dou valor... " Basicamente estão todos a quer me por mal, me deitar abaixo e me fazer a vida negra, me obrigando a renegar literalmente a minha orientação sexual, não sendo isso possível, é um coisas errada e que não se admite da parte deles, não me podem fazer tal coisa... Já estou farto de conviver com gente desta laia!!!
Eu sei disso tudo...Mas com os meus pais já passou 1 ano e ainda me fazem sofrer...
Sei que nunca mas nunca me vão aceitar... (Digo isto porque pessoas que já convivem nesta família desde sempre sabem que eles são assim e não há volta a dar)

A linha: "Talvez quando fores autónomo eles percebam que podes ser feliz, mesmo sendo homossexual.
Por vezes os pais ficam com medo que os filhos não consigam ser felizes, por terem uma orientação sexual diferente da maioria. Tenta ter um pouco de paciência com eles. Tentares criar a tua independência."
Eu disse: "Pois mas ai já será tarde demais e já terão me perdido para sempre. Sim sei disso tudo... mas os meus pais sabem das coisas como são, não querem é ver a realidade. Ter ainda mais paciência é complicado. E é isso que quero... eu não posso e ficar aqui na ilha durante muito muito tempo! Porque senão vou rebentar"

A linha: "Enquanto não conseguimos ser independente é mais complicado viver a nossa vida. Mas se calhar terás de ter paciência, com os teus pais, até conseguires tirar o teu curso. Arranjar trabalho.
Já falaste com eles sobre a entrada na faculdade?
Não terás outros familiares que falem com eles sobre esse assunto?
E já pensaste em marcar uma consulta com eles e tu num psicólogo? Talvez o psicólogo os ajude a perceber que é importante seguires os teus gostos."
Eu disse:  Sim já falei... mas eles não querem que vá para teatro, dai que não vão apoiar!
Já mostrei com paciência que é isso que quero e que existem pessoas que vivem disso... e nada feito, é uma luta sem fim e não chego a lado nenhum.
Sim tenho outros familiares, mas ninguém pode falar com eles porque depois gera-se uma guerra entre família por causa de algumas pessoas apoiarem-me nas coisas que gosto... e eles são contra isso! 
Sim já foi explorada essa hipótese mas não vale a pena eles recusam tudo, recusam lá ir porque dizem que não estão doentes!
Inclusive já tive uma psicóloga que disse sem papas na língua que a minha mãe não me aceitava e que não podia ter atitudes assim como tem para comigo! E a minha mãe ficou contra ela e nunca mais me deixou lá ir.... E a psicóloga disse-lhe que se ela continuasse assim ia me perder para sempre, e eu sinto que isso vai mesmo acontecer...E não há volta a dar! Quando ela se aperceber irá ser tarde demais! Eu já fiz tudo o que podia... São eles que tem de dar o primeiro passo em querer ser ajudados!
Como pode ver a minha situação é muito delicada e complicada....
Ou seja é-me difícil ter calma e mais paciência com isto tudo, julgo que imagina o quanto saturado já eu estou...só quero ir-me embora daqui e recomeçar a minha vida, perto daqueles que me querem bem... Sim podem ser os meus pais OK , nada muda isso... mas simplesmente não sabem tratar um filho, se eu vim ao mundo para os meus pais me fazerem sofrer mais valia não ter nascido!
Sim e eu sei agora vem a parte em que muitos me dizem "Eles não sabem como lidar, e é difícil e bla bla bla", sabem, eles sabem as coisas como são, já varias pessoas lhes abriram os olhos sem sucesso! Pelos vistos tem mesmo de me perder, ou seja, eu deixar de ter contato com eles, para eles poderem refletir se de facto tiverem consciência...ai vão abrir os olhos, mas será tarde demais! Eu já propus ajuda, varias pessoas da família já o fizeram, deitaram tudo ao lixo, não querem saber, por isso não merecem mesmo o filho que tem! Posso ser filho deles de sangue, mas tenho uma raiva, nojo, revolta, indignação, e duvido que isso mude, há coisas que nos marcam imenso, e isto marca e profundamente, e não é pegar numa borracha e apagar!"

A linha: "Sim percebo a tua situação. Mas tens de pensar numa coisa de cada vez.
Foca-te agora em terminar o secundário e conseguir ir para a faculdade.
E eles apoiam casa vás tirar o curso de pastelaria?
Olha mas não tens algum amigo ou familiar que te ajude?"
Eu disse: "Sim exacto eu sei... mas é impossível de deixar de não pensar no resto...: é porque se eles não me apoiam a minha vida complica-se...Eu a sério que não me importava de cancelar este curso mal fizesse os 18 anos e ir para Lisboa e tirar o CET de Pastelaria, que me garante o 12º ano completo e é como se fosse 13º ano! O que eu sei é que necessito de sair daqui, senão dou em doido, entro numa depressão, e já me bastou a que tive, não quero voltar a isso...
Eu sei estudar é importante, mas acima disso vem o bem estar a saúde, sabe nos últimos tempos tenho andado sempre ansioso, stressado, inervado....Querem que eu lide e aguente com tudo, mas não sou de ferro! Ultimamente ando com a tensão alta...colesterol também alto... E agora não posso me inervar nem stressar porque descontrola-me tudo... (antes não era nada assim)! Eu não tenho bem estar, e saúde vai-se "roubando" aos poucos..E depois ainda têm a lata de me dizer que não tenho preocupações nem contas para pagar para andar num estado desses! Caramba, o que eu passo deixa-me completamente de rastos sem saber o que fazer...fico assim não tenho culpa, isso não é nada bom para a minha saúde, o meu estado psicológico esta imenso perturbado, arrasado, .... Por vezes só me apetece fazer as malas, meter-me num avião e ir rumo a uma nova vida, e manter contato com apenas aqueles da família que gostam e tem um carinho especial por mim!
Isso de me ir embora apetece-me todos os dias...só não o fiz porque ainda não tenho acesso à minha conta bancaria, senão decerto que já estava melhor e mais feliz....

Sei lá se apoiam, duvido também que não, vão dizer que isso não é vida para ninguém... eu já estou um bocadinho bem preparado para o pior cenário... Eu ando com um felling já desde há muito tempo que não acabo o curso de informática... E os meus fellings costumam ser muito certeiros....
Existe algo que eu possa mais fazer? Alguém a quem possa recorrer? É porque como já pode constatar, já estou desesperado... e não é fácil viver dia após dia debaixo do mesmo teto com seres que me maltratam! Eu já tentei de tudo, não tenho nenhum amigo que me possa dar casa...e teto para viver senão já lá estava... E com familiares, bem tentei com a minha tia e meus padrinhos, mas ninguém quer isso porque os meus pais depois vão criar uma guerra, e vão andar a dizer que andaram a roubar o filho deles, e ninguém intervém porque não querem confusões e não querem ficar em guerra com os meus pais. Sim algumas pessoas tem pena de mim... mas dizem-me eu não posso fazer mais nada por ti, desculpa-me, tu já sabes como são os teus pais! Dizem mal de tudo e todos!
Já esta a perceber a gravidade da situação onde estou metido? "

A linha: "Sim percebo. O que te posso dizer é que tens de pensar numa coisa de cada vez.
Não penses só nas coisas menos boas. Tens com certeza coisas positivas. O meu conselho é que tenhas paciência até acabar o secundário. e tentes convencer os teus pais que eles tem de te apoiar com os estudos. Pelo menos até acabares o secundário é importante que consigas conviver com eles.
Entretanto vais pensando o que fazer depois.
Eu disse: "Sim eu sei... eu já pensei mil e uma vezes e só quero sair daqui... para poder estar bem.. até nem estou em desvantagem porque posso aproveitar os dois anos 10º e 11º e por ventura 12º deste curso...para entrar para o CET portanto não é mau de todo...
Não tenho coisas positivas.... Posso ter tudo, roupa cara, tudo de bom e melhor, o que seja .... mas falta o mais importante, o que o dinheiro não paga.. amor, carinho, afeto, amizade, segurança, ...
Eu já pensei nisso.... e tento ter paciência dia após dia...mas sei que nem eu nem ninguém consegue convencer os meus pais do que quer que seja... Já estou no ponto de não conseguir conviver com eles, mal falamos, quando abrem a boca sai sempre discussão!"

A linha: "Procura encontrar o tal carinho em alguns amigos. E podes ligar sempre que queiras desabafas, desculpa se não estou a ser grande ajuda"
Eu disse: "Pois se sequer eu tivesse amigos aqui... ajudava, se isto sequer tivesse um centro LGBT era melhor, se houvesse uma casa de abrigo era melhor...Mas a Madeira sera sempre a mesma coisa, de sempre....Não tem nada de pedir desculpa eu compreendo um pouco a sua parte, mas há coisas que me revoltam e tiram do sério!
Obrigada! Eu tenho de fazer algo por mim já que eles não o fazem..."

0 comentários:

Enviar um comentário