sexta-feira, 15 de novembro de 2013 - 0 comentários

E "hoje" foi o meu fim!

Os meus pais desde Dezembro de 2012 que descobriram o meu segredo e desde ai, as coisas cá por casa (além de já não estarem bem na altura) pioraram e muito. Eu não me assumi directamente, a minha mãe é que descobriu o meu segredo que eu guardava e tencionava esconder por mais algum tempo, de uma forma desastrosa.

Peço desculpa pelos termos usados, desde já. Passo a contar: estava eu um dia na sala sozinho, e como estava sozinho aproveitei para ver umas fotos de rapazes no tumblr (estando estes nus), e desde já sei que não deveria ter tido tal atitude e estou muito arrependido disso, mas neste momento já não serve de nada, depois não sei como foi, a certa altura a minha mãe apareceu por trás do sofá e viu o que eu estava a fazer. A primeira reacção dela foi ficar em choque, e depois disse-me: "Há o que é isso que estas para aí a ver?”, que pouca vergonha , és a vergonha da família, não tens vergonha de ser assim, não faças eu e teu pai passar vergonhas, pelo teu irmão não faças uma coisa dessas. Irmão este que não se encontra com vida, morreu a nascença e é inadmissível os meus pais usarem o meu irmão como estratégia para “me demover da ideia de ser gay”, infelizmente eles pensam assim. Foi piorando ainda mais, “Ah tu só gostas é de levar no c*, tu não prestas, és tonto, és uma vergonha; e quem foi que te meteu isso na cabeça?”

E "hoje" foi o meu fim.... :(


Depois existem pessoas que ainda tem o completo descaramento de perguntar porque me sinto revoltado, porque reajo assim, porque tenho esta atitude ou aquela, não me compreendem por nada juro, essas pessoas de família fazem essas perguntas e além disso, ainda se fazem de desentendidas quando confrontadas com a verdade e tentam dar a volta a tudo, é exactamente o que já aconteceu em algumas consultas de pedopsiquiatria, fico sempre como o “mau da fita”. Falam todos da minha vida como se soubessem dela, mas não sabem porque se realmente soubessem não era garantido estarem vivos de momento, tenho tanta mágoa e dor cá dentro, um grande vazio, sinto-me incompleto, tenho falta de amor e carinho, tenho falta de alguém que me ame e a quem possa dar amor, que me ame, que me respeite, que me aceite, que me compreenda, ….

Outra situação quanto aos meus pais, é frequente fazer-se comentários do género: “Homens são homens, não são gatos”, “Uma pessoa por ter uma tatuagem, piercing, gostar de homens ou mulheres, não é considerada sociedade nenhuma, é a coisa mais horrível que existe, é a podridão do mundo”, “Isso não são pessoas, não são nada!”. A minha mãe inclusive já ficou contra uma psicóloga minha por esta ter-lhe dito a verdade na cara que não me estava a aceitar, devido aos factos e às atitudes que a minha mãe apresentou, a minha mãe saiu do consultório danada, argumentando que ia processar a psicóloga, que não tinha sido bem atendida, pois eu acabei por ter uma discussão feia com ela, à frente da psicóloga, pois já não aguentava mais o que sentia, e deitei tudo cá para fora.

As coisas não são nada fáceis para mim, não sei o que mais hei-de fazer, como lido com pessoas assim, sei que são meus pais e lutaram muito para estar aqui, mas houve e há atitudes deles que me revolta imenso, as vezes chego a pensar que eles não me merecem como seu filho, tratando-me como me tem tratado nos últimos tempos, a minha vida tem sido um “inferno em brasas”, os meus pais também já me levaram a sítios de astrologia outros, a fim de fazer ver, de me impor que não sou homossexual e que estou errado, que o problema está na minha mente, que isto foram coisas que me meteram na cabeça, que eu tou a agir como eu não sou, e que mais tarde hei-de me arrepender profundamente, e mais tanta conversa fiada, não acredito em nada disso, eu sei o que sou, já desde algum tempo, sei o que sinto (já tive inclusive várias vezes com um rapaz, e é com isso que me sinto bem, raparigas não me dizem nada) e isso não me demove, apenas me irrita e me faz sentir mais revoltado, mal, e com raiva com pais e família que tenho. A minha mãe e o meu pai são muito homofóbicos e preconceituosos, tenho uma família em que é tudo assim, só tenho o apoio de alguns amigos, muito poucos, mas mesmo assim não é nada fácil de eu suportar tudo....com esta grande cruz às costas!

A minha relação com os meus pais é um completo desastre eles não me aceitam, não respeitam nem tem consideração por aquilo que sou, não gostam que eu faça as minhas coisas, tenho que ser e viver como eles querem, no fundo quem escolhe o tipo de vida para mim são eles, mas eu sendo a pessoa que sou não dou o braço a torcer, sou aquilo que sou, gostem ou não. Caramba não me deixam fazer nada, desde que os meus pais e o resto das pessoas sabem, a minha vida tornou-se cada vez mais infernal, além de já o ser antes, dado que a relação com eles já não está bem praticamente há dois anos, e fui sempre aguentando aqui e ali, mas agora chegou o fim, não suporto mais, acabou-se!!!

Não consigo de nenhuma forma conviver com os meus pais, nem com esta família, mas não consigo enxergar-lhes a cara, tendo eles feito aquilo que já fizeram, é absurdo e inadmissível para mim aceitar as desculpas disso, mesmo sendo, com “os nervos em franja”, de cabeça quente, magoou profundamente, a minha própria mãe chegou-me a dizer: “É melhor pegares numa arma e matares os meus próprios pais, assim já ficas livre de nós, já que é isso que queres! É melhor isso do que dizeres que és p********!”

Como já referi antes, desde que os meus pais souberam da minha orientação sexual (homossexualidade) que o ambiente cá por casa tem sido um caus, depois familiares metem-se ao baralho e todos quando confrontados com a verdade negam tais factos e situações que me fazem passar, ficando eu como o "mau da fita", e por acaso uma das situações recentes foi a minha actual psiquiatra dar praticamente a razão toda aos meus pais e em ter-me perguntado se ainda tinha dúvidas em relação à orientação sexual, numa altura destas, tudo por causa que a minha mãe tem uma mania: "Ah só por uma ter-te dado com os pés tu viras-te." e não entende, de modo nenhum o facto de me assumir como homossexual, para ela isso dá tempo, só por volta dos trinta o devo fazer, depois de ter curso tirado e vida feita, não posso segundo eles aproveitar o agora, o momento".
Do ponto de vista deles, eu comporto-me  mal, trato-os mal, ando metido em drogas e coisas semelhantes, mas não é nada assim, as pessoas ao me dizerem certas coisas e ao estarem sempre a tocar no assunto e a falar de raparigas incomoda-me imenso, muito mesmo, já não suporto e acho que quem  precisa de mais ajuda neste momento são os meus pais do que eu, pois estes ainda não caíram em si, e se aperceberam que a situação é bem real e que isto é algo que já vem dentro de mim desde que nasci, só que se desperta mais tarde, durante a adolescência, fase pela qual ainda estou a passar, não só não estão a aceitam bem como não me respeitam, por vezes tem atitudes inadmissíveis que não são de nenhuns pais terem para com os filhos, e de facto junto ao que tenho passado na escola, já fui humilhado, difamado e mais uma série de coisas, já sofri de bullying durante anos, sai recentemente de uma depressão, e o meu estado emocional, ainda muito bom tem estado, e admiro-me e gosto de mim tal como sou, aceito-me sem complexos, admiro em mim ter uma capacidade sem fim para continuar a lutar dia após dia, contra tudo e todos. Não tem sido nada fácil a minha vida desde o nascimento, tenho passado por tamanhas situações bastante complicadas mas sempre tenho vencido na vida, vivendo um dia de cada vez, hoje não está bem, amanhã há-de ficar!


0 comentários:

Enviar um comentário