domingo, 17 de novembro de 2013 - 0 comentários

Mesmo depois de tudo...



Mesmo depois das grande dificuldades passadas no 11º ano, felizmente consegui passar a tudo e irei para o 12º ano, isto porque no primeiro período não andei nada bem, foi na fase em que estive com depressão e não foi fácil estudar, desimportei-me um bocado dos estudos, mas o que importa agora, é que consegui transitar de ano e passar a tudo com notas razoáveis, poderiam ter sido melhores se não me tivesse acontecido tantas coisas, tais como sofrer de bullying homofóbico na escola, ter uma má relação com pais e família, estar revoltado contra o mundo e contra todos.

O meu defeito é que por vezes encaro tudo como um grande problema e sofrimento que tenho de carregar, infelizmente é assim. O problema, é que todo o mundo ao meu redor tende em por as culpas em cima de mim, eu sei que não tenho culpa, sei que já nasci assim que isto é uma coisa que vem comigo desde cedo, e eu inevitavelmente acabo por me sentir um bocado culpado pela situação toda, pois a minha família exerce uma grande pressão sobre mim e humilha-me por ser o que sou.

Os meus pais dizem-me sempre que não tenho idade para ir ali ou acolá, que não sei fazer nada (eu sei fazer as coisas, tratar da lida doméstica e tudo mais, porém os meus pais insistem mais um vez em me rebaixar argumentando, que não tenho valor, que não vou ser ninguém na vida). É tão triste mesmo!

Este ano lectivo passei por situações muito péssimas com a turma que me calhou, e infelizmente para o próximo ano irei ficar colocado na mesma turma, devido ao facto de não existir outra do mesmo curso. Os meus colegas de turma fizeram-me passar um mau bocado, primeiro começaram a fazer perguntas em relação à minha vida pessoal, intima, às quais eu não dava resposta e perguntava às pessoas em questão se teriam algo a ver com a minha vida, se mandavam nela...
Depois sempre continuou a situação...até que um dia me ameaçaram bater fora da escola, mas pelos vistos era só "garganta" e ameaça, pois não chegaram a fazê-lo. Cheguei a falar com a minha DT umas duas vezes sobre todas estas situações e esta ainda tratou de falar com os envolvidos, mas ficaram uma semana bem, mas depois continuou tudo na mesma os piones nas cadeiras, estarem sempre a falar mal de mim...isto tudo até o fim do ano lectivo, não foi nada facílimo de suportar-se, custou imenso, haviam dias em que chegava a casa passado, em que só me apetecia chorar e fazer alguma coisa para os parar, mas não soube o que deveria fazer dado o caso, nem tampouco como havia de reagir perante tudo o que se passou. Fiquei e estou extremamente farto dos meus colegas de turma, só me fazem sentir mal e me deitam abaixo, tento ser forte e não ligar mas aquilo corroí-me por dentro e faz-me sentir mal e inútil!

Já há algum tempo que sinto que: preciso de parar...de resolver as coisas comigo próprio, os problemas que tenho de auto-confiança e auto-estima, de como lidar com as pessoas ao meu redor, esta ideia já não é de agora, só não parei porque pronto tentei não deixar o 11º ano pelo caminho, mas esse pensamento cruzou a minha mente diversas vezes. Preciso de estar e me sentir bem bem, para então poder recomeçar a minha vida me sentido bem, e não andar como tenho estado ultimamente... percebe-me acha que de facto esta escolha seria boa, parar por um tempo? E a razão para a qual acho por bem parar é a seguinte, é para curar o estado psicológico em que estou, que não é nada nada bom nem animador, enfim....  passar a me sentir bem e feliz...e a pessoa que era antes, tornei-me frio, distante, agressivo, sei lá... tanta coisa, até ao respirar sinto uma aflição dentro de mim, nem sei como hei de explicar estes factos. A verdade, é que verdade o que tem me acontecido nos últimos tempos tem mexido comigo duma maneira muito brusca, o que tenho sofrido e o que tenho passado fez-me tornar um bocado o que não era... isso são tudo questões que tenho de resolver.

Depois perto do final das aulas...em maio, no último dia do mês saí à noite contra a vontade dos meus pais para ir à discoteca gay e poder me divertir um pouco... mas a diversão acabou por dar para o torto: Comecei a beber, e fui bebendo, até não poder mais, depois a certa altura já me encontrava na rua não sei como... foi também nessa noite que experimentei fumar, e foi uma experiência má que não quero voltar a repetir! Uma semana depois estava eu de cama com uma gastroenterite, passei mesmo mal, só conseguia comer gelatina e beber líquidos, acabei por perder alguns quilos!
E fiz isso tudo porque estava farto de tudo, dos meus pais de tudo...dos problemas na escola, em casa, de conviver com gente que só me maltrata mas sei que não serviu de nada, os problemas continuaram e a bebedeira foi apenas uma lição...arrependi-me severamente de ter tomado uma bebedeira destas, mas quê eu precisava de algo assim.... Mesmo assim depois de tudo, eu tenho sido bastante forte mesmo depois de tudo o que tenho passado, mesmo muito, não é de certeza  qualquer um  que aguenta o que eu já passei e passo!
Os meus pais no dia a seguir à saída à noite, andaram à minha procura pois não sabiam onde eu estava e tiveram uma grande discussão para comigo por ter feito o que fiz, e que isso não se fazia, que não é certo...e bla. bla, bla foram me buscar e trouxeram-me para casa...
Depois começaram com muitas perguntas e me disseram-me coisas sem nexo horrorosas, tanto que eu passei-me e disse-lhes: "O vosso problema e eu gostar de homens não é??? Já sei que não me compreendem.... Não adianta mesmo"

A minha mãe sinceramente não me pode ver a falar com ninguém, não me suporta ver com amigos)... Que horror, quer sempre saber com quem falo ao telefone mas não lhe disse, estava a me irritar tanto que quase lhe dizia que estava a falar com um rapaz  e se ela tinha problemas com isso!!!
Depois no dia seguinte, fui à casa da minha avó e a minha tia pegou comigo por causa do "chupão" que tinha no pescoço, a quererem saber o que era...Que raiva! Odiei!

A minha mãe diz-me que não tenho carácter nenhum que não sou nenhuma pessoa, que não sou nada, ofende-me ao mais alto nível, uma coisa que já percebi, é que não aceita de maneira nenhuma o facto de eu ser homossexual e por isso faz-me a vida negra. A minha mãe diz-me que a minha adolescência não é saudável, diz que é doentia. E que eu estou maluco da cabeça. A minha mãe já me disse isto mil e uma vezes...:  "Eu já te disse, estuda faz a tua vida arranja trabalho, se independente depois andas com quem quiseres e fazes o que quiseres da tua vida, isso não é problema nenhum para agora!! Que mania tens tu em te assumir, tu nem sabes o que queres da vida! " Depois outro facto é o de esta estar sempre a buscar o assunto mulheres para me impor, parece-me que quer obrigar a ter algo com uma mulher...

As coisas voltaram ao mesmo patamar, de como já estiveram....pessoas da minha família (minha mãe, tia e avo) disseram-me coisas que me magoaram e estou em baixo....
"A minha mãe disse que eu era um falso, um pobre e mal agradecido, minha tia e avo dizem que vou bater na parede, que não tenho idade pra saber o que quero, que dá tempo e mais tempo, que eles a que tem razão e que um dia lhes hei dar razão...que os amigos que tenho só me deitam a perder, que devia ter vergonha....E que a minha mãe sacrificou-se tanto por mim e que eu não lhe dou valor... " Basicamente estão todos a quer me por mal, me deitar abaixo e me fazer a vida negra, me obrigando a renegar literalmente a minha orientação sexual, não sendo isso possível, é um coisas errada e que não se admite da parte deles, não me podem fazer tal coisa... Já estou farto de conviver com gente desta laia, tenho a família toda contra mim, eu sou só um a lutar contra muitos, não sei mesmo o que fazer!!!
A minha mãe também curiosa andou a tentar ver com quem teclava no telemóvel e viu um nome dum rapaz, que raiva... Já não posso falar com ninguém, não há paz nem sossego, ela depois já queria saber coisas sobre ele. Caramba não sei que hei de fazer.
Santa paciência onde vou arranjar calma para isto tudo, já não tenho! Já me bastam os problemas psicológicos por resolver que ainda tenho comigo....ainda mais esta.

E depois ainda tem a lata de me dizer que não tenho razoes para ter certas atitudes.... Que sou um rapaz que tenho tudo, que tenho uma família como ninguém tem, perfeita (essa deve ser a gozar é que só pode) eu tenho é uma família que não me suporta por eu ser aquilo que sou, uma família que farta-se de fazer de tudo para me pôr mal, em baixo, chegando eu a pensar em suicídio, o que não é nada bom, qualquer dia não tarda muito se continuo neste ambiente estou com mais uma depressão...Dizem só que a culpa é toda minha, que sou eu quem não sabe dar valor...etc.
Eu tento ser forte e não me deixar ir abaixo, mas o problema e que isso vem da minha própria família de quem me devia apoiar e ser o meu suporte, mas no entanto não o é...é triste, odeio tanto as coisas serem assim.... Que vida esta que eu levo, eu tento ter calma mas as vezes me falta, e só me passa pela cabeça fugir, fugir disto tudo, ir ter com alguém que me ampare e que me ajude (no que precisar).... Não aguento viver assim, não quero!!!
O pior da minha família, é que eles me deixam mal em todas as situações....fico como o mau da fita, todos me apontam o dedo e me rotulam, tipo a minha psiquiatra e tudo o resto ficam do lado dos meus pais e eu fico na m****! A minha mãe não me pode ver no computador a falar com amigos :ela diz: "Ainda não te fartas-te dessas m*****, ainda não te fartas-te!" Eles consideram-me a pior aberração que existe, um bicho que não merece viver tal e qual como é....

Estas férias ainda mal começaram...passei o dia no computador, que seca, depois a minha mãe começa a me chatear que não faço nada... e bla bla, tenho problemas em fazer amigos, todos os problemas que tive com os meus pais, tenho também problemas de auto-estima e de confiança, e sinceramente eu aguentar e suportar isto tudo não é nada fácil, não é nada bom eu estar envolvido neste ambiente tenho de sair daqui, eu quero muito sair daqui, desta casa por uns bons tempos, não aguento, quero muito ir para Lisboa, lá ao menos tenho quem me dê apoio, amigos, e tudo o que será melhor para mim. Já deixou de fazer sentido eu viver nesta casa e com os meus pais, não aguento aquilo que eles e toda a minha família me faz passar...chega, basta! Atingi os meus limites!

Odeio tanto, o facto de isto ser assim, nunca pensei em dizer isto mas tenho odeio, raiva, nojo dos meus próprios pais, o que eles me estão a fazer é negar aquilo que sou e me reprimir para voltar a ser como era dantes uma pessoa mais infeliz ainda, escondida dentro do armário. Não consigo conviver com gente assim...porém tenho de arranjar uma solução e depressa pois não estou para aguentar muito mais tempo esta situação...Por vezes só me passa pela cabeça, morrer...é triste, eles sabem lá o que custa para um LGBT que vive numa ilha retardada, sem centro de apoio a LGBT, etc...  ter que aguentar  e levar com isto tudo, dia após dia cada vez pior, sabem lá o que é estar na minha pele e sentir aquilo que  sinto... Não não sabem nem nunca saberão claramente, pois só quem passa pelas situações e as vivência é que sabe. Juro, já não aguento mais discussões, ter de olhar a cara deles....só me apetece mesmo fugir para bem longe daqui.
Preciso tanto de uma grande mudança de 180º na minha vida mas não sei o que fazer, sinceramente dada toda esta situação... As minhas ferias são sempre um pesadelo, sempre mas sempre ( o ano passado entrei em depressão no verão), este ano queria ir ao acampamento de verão da REA, mas eles não estão nada interessados em me deixar, não compreendem o quão importante isso seria para mim...ou então ir uma semaninha a Lisboa, para estar com os meus amigos mas eles não compreendem, para variar eles não compreendem nada de nada!

Não tenho amigos...muitas das pessoas que tinha como amigos era " " porque aproveitaram-se de mim e usaram-me...
Estou farto que me magoem, estou farto de tudo... de sofrer, quero por um ponto final e que alguém me diga, "Não te preocupes, já está tudo bem..." Finalmente acabou-se! É o fim!!!
Já estou tão farto de conseguir suportar com tudo isto cansa, e eu já estou bem cansado...estou farto de gente que não me entenda.... Só quem me percebe e quem são meus amigos -  único e exclusivamente pessoal da rede que tenho conhecido, de resto mais ninguém me entende, só me julgam dizem que sou isto ou aquilo que estou errado!

Enfim não sei que fazer a esta minha vida, tento ter força, mas ela se esgota! Sinto-me tão mal por toda esta situação, quero viver uma vida descontraída, mas parece-me que tenho é um inferno de vida...O pensamento de morrer por vezes cruza-se na minha mente, e penso que se o fizer tudo acabará de uma vez por todas mas depois volto a pensar e pensar e chego à conclusão.... Pra que morrer? Valerá de algo? Não!Nós temos uma longa vida pela frente....um futuro, se morrêssemos deixaríamos de parte todo o bem que podemos vir a fazer, bem como a criar mudança neste mundo, o nosso. A vida é bela, só tens de aprender a vive-la! Eu pessoalmente, acredito que todos nascemos com um determinado propósito, algo a fazer pela humanidade....
E sei bem que não estou sozinho, tenho os amigos da rede e todos a me acompanhar mas a realidade é que muitos deles não sabem me dizer o que fazer quanto à minha situação toda...pois nunca passaram por algo do género e não sabem como reagir...
Não tenho ninguém de família a quem possa pedir ajuda quanto a isto tudo...pois ninguém quer se meter para depois ficar como "culpado" disto ou aquilo!

Mais uma discussão cá por casa, um horror... muito violenta, o meu pai quase me batia, .... ele já o fez uma vez, (naquela primeira vez em que eu sai à noite, e cheguei a casa de madrugada ele escondeu-me o meu telemóvel e disse-se que o tinha atirado para dentro de um balde de água...e disse-lhe mil e uma vezes para me devolver o telemóvel, e depois começou a reclamar comigo, e eu  manifestei-me não gostei do que ele me disse: "Filho, eu quero que tu sejas como o pai diz!" Que absurdo completo! Eu disse: "
Nunca, nunca vou ser como tu queres!" mas num tom explosivo já porque não admiti que ele dissesse aquilo...foi então que ele me deu uma bofetada na cara! Odiei tanto!
Eu e ele nunca nos demos muito bem...)

Nesta discussão só me diziam coisas tolas, besteiras...que me fazem sentir muito mal e pensar em morrer...
A minha própria mãe perguntar-me se eu andava na pedofilia... Onde já se viu isto!
Eu disse-lhes "ainda vou arranjar provas" e eles provas já temos nós e muitas, isso é o que não falta! Isto porque é sempre a minha palavra contra a deles, eles ficam sempre com a razão toda nas mãos...
E o meu pai lá disse que vão mandar o meu pc a policia para ser revistado, porque querem saber o que faço lá...E depois só me obrigava a desligar o pc e eram dez horas da noite, tão cedo para ir dormir, o meu pai disse ou desligas ou dou cabo disso tudo, arrebento e deixo isso aos bocadinhos! Não me suportam ver a falar com amigos! Não me suportam ver fazer nada, chamam-me inútil, de pessoa sem carácter, que não sabe fazer nada e tantas mais coisas.... Disse-lhes que qualquer dia desaparecia daqui para sempre, por causa de gente tonta.

Algo que não compreendo é como é que uns pais tem a coragem de dizer essas coisas ao próprio filho, não pensando de maneira nenhuma como este se vai sentir depois de tudo... A conclusão que retiro disto tudo é que tenho uns pais que não merecem o filho que têm, eu não os suporto mais, não aguento, não quero viver com eles, cheguei ao fim, quero sair desta casa, e irei fazer tudo o que puder fazer para tal...Sei que não é nada fácil, mas tenho de fazer algo por mim já que eles não o fazem.... Preciso de ajuda mesmo.
É realmente muito difícil de perceber como é possível ser tratado assim, tanto que eu não puxo o assunto, são eles que o vão buscar e acabam por me magoar, e muito mesmo!
Não preciso de ter vergonha de ser aquilo que sou, alias quem deveria ter vergonha é quem me trata como se fosse anormal, eu até já cheguei a dizer isso na cara dos meus pais, mas eles fazem questão de se fazer de desentendidos, e tentam dar a volta, pois para eles ouvir as verdades doí, não gostam de as ouvir, custa-lhes! Mas eu cá faço questão de as dizer na cara...
Tenho IMENSO ORGULHO naquilo que eu sou, não tenho vergonha nenhuma em dizer aquilo que sou, já tive, já lá foi o tempo em que vivia escondido no meu mundo, horrivelmente mal por causa que no início eu ser homossexual era algo que não me encaixava e que não compreendia.
Acredito que alguns obstáculos aparecem no nosso caminho para nos tornar mais fortes, há coisas que a vida nos faz para nos pôr à prova. Também acho que que temos que sofrer ou que temos que passar por determinadas situações para conseguir algo, pois isso ajuda-nos a mudar perspectivas, aprendemos a crescer em pessoa e em ser.  A luta pode ser dura, mas a recompensa é enorme, e eu acredito que depois disto tudo a recompensa irá ser enorme, e irei um dia viver a minha vida, sem sobressaltos, nas calmas!
"Sê forte e não desistas." Forte já sou, e desistir comigo, é nunca, não vou deixar jamais de ser aquilo que eu sou por causa de meus pais ou outra pessoa qualquer, eu sou assim...gostem ou não!

0 comentários:

Enviar um comentário