sábado, 17 de novembro de 2012 - 0 comentários

O Prazer da Vida, de Existir de Ter Alguém!

ARTIGO DE OPINIÃO FILOSÓFICA!


Viver é algo puramente indefinível, isto porque para cada pessoa há um ponto de vista sempre diferente, para cada um de nós há uma opinião distinta sobre qualquer coisa. Termos como, amor, amizade, existência no mundo, não podem ter definição possível senão, são aquilo que está escrito e nada mais.
Viver é um prazer, é uma das melhores coisas que alguém como eu pode desejar.
É deixar marcas da nossa existência, da nossa presença no mundo, e não basta apenas existirmos, isto é, estarmos presentes neste mundo tão duro, escuro, pobre de luz, de vivência, de espírito, de alma, de pessoas boas, carinhosas e afectuosas, de amor, de paixão, de paz, é preciso também sabermos como é a real vida, a verdadeira, que é bem dura, exigente, difícil e severa para aqueles que mais sofrem.
Viver é ter uma única história representada por milhares de rostos, episódios, nomes, momentos, alegrias. Viver é expandir a sua própria existência para além dos limites imaginados. Viver é ter fome. Ter fome de tudo. De aventura, de amor, de amizade, de sucesso, de vitórias, de comemoração de cada dia que se pode partilhar com os outros.

A vida é existir, saborear, é uma dádiva, é sermos alguém e fazermos parte de um mundo, de um grupo de pessoas. Viver é impossível de se explicar, implica lutar com garra, amar com paixão, sofrer por uma razão, celebrar as lutas e os fracassos, ter objectivos, metas, sonhos sem tempo nem lugar, bonitos e irreais, agradecer, ajudar sem querer nada em troca, aproveitar os bons momentos, tal como os menos bons, obtendo alguns ensinamentos através desses, e aprendendo de dia para dia.
Vista de fora ela parece estática, mas dentro de nós, a vida é um fluxo constante. Ela não é, nem nunca será perfeita, a ideia de que a vida é um mar de rosas, é completamente errada, pois esta custa imenso, e é bem dura. Devemos seguir sempre em frente, estando bem ou mal, até encontrarmos as respostas que procuramos, em relação às perguntas que a vida, a nossa existência nos coloca, à medida que vamos crescendo não só em ser, mas igualmente em pessoa.

Tão facilmente nos apercebemos, que de um dia para outro a vida muda, faz-nos sentir o que não sentíamos antes, faz-nos ver o que não víamos antes. Viver é expandir a sua própria existência, é experimentar mudanças, é divertir-se, é fantasiar, é amar. É sermos nós mesmos, é encontrarmos dentro de nós o nosso EU, é sermos felizes, é encontrarmos alguém muito especial, quando menos esperamos, é acreditarmos no impossível, é sorrirmos para a vida, é amarmos e sermos amados, é uma peripécia. A vida trata de ser generosa, para quem vive a sua lenda pessoal, o seu sonho, a sua história, com recomeços e fins, fracassos e vitórias, lutas e dissabores, amor e paixão.
Não há vida sem troca, amor sem sofrimento, paz sem guerra, não há troca sem perdas, não há perdas sem ganhos, não há ganhos sem lutas, não há lutas sem dor, não há dor sem razão. Vezes sem conta pergunto a mim mesmo: ‘Quem sou EU?’
Eu sou milhares de perguntas, isto porque ninguém tem definição própria, somos todos únicos, todos diferentes uns dos outros. Acho muito difícil, alguém definir-se num texto por palavras, eu pelo menos não consigo, pois um texto, não daria para falar, sobre todos os meus desejos, sonhos, vontades, medos... de mostrar realmente quem eu sou ou quem gostaria de ser.
Acho muito complicado se definir, pois se eu me defino eu sou aquilo e nada mais! Eu sou tantas coisas ao mesmo tempo, que não consigo pôr tudo uma definição. Muitos acham que eu sou: bom rapaz, engraçado, humilde, sincero, alegre, feliz, tímido, esperto, triste, fechado, mal humorado, ... são tantas as diferenças. Como é que eu posso ser triste e engraçado ao mesmo tempo? Por isso é que eu acho que o que me define de verdade é não ter definição.
Todos somos grandes pessoas, a nossa personalidade é o que faz tudo o que somos. Eu gosto de ser diferente e assumo, já tentei ser igual, confesso, mas grande parte de mim sentia-se infeliz, triste, mal por não poder ser ela mesma, decidi ouvir-me, amar-me, respeitar-me, ter confiança, força, animo, garra para lutar. Levantei a cabeça e quando percebi, estava de frente com um enorme espelho, e ali havia uma pessoa que eu nunca tinha visto. Estranhamente bonito, com um sorriso inesperadamente doce, calmo, com uma face familiar. Essa pessoa abriu a boca e disse-me: é quando nos amamos de verdade, que o mundo abre-se para nós! Aquilo me fez ver o quão essencial a mim mesmo eu sou, eu fazia-me falta e hoje, completo-me. Jamais te esqueças, enquanto não olhares para ti, não verás correctamente os outros!

Cada um de nós tem dentro de si, a sua vontade de viver, as suas condutas, os seus desejos, as suas ambições, os seus sonhos, a sua visão do que é o mundo, de como é a vida. Existir é propriamente não ter uma definição possível, é ser diferente de todos. O diferente define-me, e por sinal, muito bem! Sou um pouco de tudo sem querer ser nada. Pulo, grito, choro, enlouqueço, durmo, relaxo, acalmo-me, não me incomodo. Amo, odeio, alegro-me, stresso-me. Tudo na maior facilidade! Agrado-me, irrito-me, desgosto, adoro, detesto, compro, vendo, dou, empresto, faço chorar, faço sorrir, quero bem, quero melhor ainda, não desejo mal a ninguém. Sem reclamações, eu sou uma grande pessoa! Abri mão de coisas velhas, velhas pessoas, velhos hábitos e costumes, tudo que era velho ficou … guardado em um lugar especial no coração e abri-me, entreguei-me para tudo que há de novo. Resolvi, reescrever minha história em novos cenários, com novas mudanças, desafios, com outros começos, e momentos, sabendo que todas as páginas serão diferentes umas das outras.
É importante, todos nós existirmos, cada um de nós tem um determinado papel na sociedade, existir faz de nós humanos, pessoas dignas com carácter, é importante eu existir, cada um de nós tem um porquê, uma grande razão, um motivo para cá estar, vivo! Nada na vida acontece simplesmente porque sim, por mero acaso ou pura coincidência, tudo tem o seu porquê, a sua razão, motivo e objectivo de acontecer! Em todo o sofrimento que cada um de nós passa, existe sempre algo de bom, que acontece ou irá acontecer, uma lição que podemos retirar deste, com tudo o que sofremos e pelo que passamos.

Somos nós, tu e ele que temos de aprender a viver, a lidar com as contrariedades que surgem no dia-a-dia, a lutar, a amar, a cuidar, a dar valor antes de perder ao que quer que seja, a arriscar, a ser pessoas dignas, com carácter dotadas de boas energias, sem qualquer vergonha de ser como somos, devemos fazer a vida valer a pena, aproveitando dela tudo de maravilhoso e de bom que podemos ter.
Eu não sou uma pessoa perfeita, nem ambiciono ser, gosto de mim tal e qual como sou. Eu faço coisas que não devia fazer, sou como toda a gente, um, ser humano. Eu cometo erros, tenho problemas, imperfeições, pois ninguém neste mundo é perfeito.
Eu, e todos nós já cometemos erros, desiludimos pessoas, magoámos alguém, choramos por impulso, pensamos em fugir, fugir de tudo. Todos vivemos a fugir, procuramos não sentir nada do que é a dor, do que é não ter vida, não ter ninguém, ser sozinho, ter uma doença considerada grave, não ter livre arbítrio, não ter a capacidade de ser a pessoa própria (…) nós fugimos de tudo, de tudo, dos problemas, das inseguranças, dos objectivos, dos medos, daquilo que é ruim e bom, do que nos magoa, daquilo que nos faz chorar, das pessoas, daqueles que precisam de uma mão amiga…fugimos pensando que isso irá resolver tudo, porém não resolve nada, só acaba complicando. Muitos de nós vivemos agarrados ao passado com medo do presente.

Há pessoas por este mundo além, que não sabem o que é viver, são pobres, sozinhas, não têm pessoas a sua volta, família, (…) e é triste viver num mundo assim, em que a maioria das pessoas simplesmente não se preocupa com os outros à sua volta, são egocêntricas, pois só sabem pensar nelas próprias e nada mais existe a sua volta, no mundo. Por outro lado também existe outro tipo de mundo, de pessoas, aquelas que sofreram tanto, que já passaram pelo que realmente custa a vida, estar vivo e lutaram para serem pessoas dignas com carácter. São precisamente essas as que tem um coração de ouro, que não fazem mal a ninguém, que se importam consigo e com os outros, que ajudam quem precisar, essas pessoas são as melhores pessoas que o mundo poderá ter. Aqueles com as maiores cicatrizes são os que têm dentro de si, as personalidades mais fortes. Essas pessoas são diferentes, sem dúvida as melhores e maiores pessoas que podemos alguma vez conhecer. São fortes, não desistem ao primeiro obstáculo que lhes aparece à frente, essas pessoas sabem o que é viver, são é um verdadeiro exemplo de que podemos ultrapassar as dificuldades da vida, que podemos prosperar contra todas as hipóteses, de que tudo é possível.

Eu, autor deste artigo, não tenho medo da vida, de arriscar e de admitir as minhas fraquezas, sou humano e isso é o que faz de mim uma grande pessoa, com carácter, valores, e um grande homem. O prazer da vida é viver intensamente cada momento, cada minuto, cada dia da nossa existência. Eu quero, eu posso e eu consigo. Isto porque nós conseguimos fazer tudo, basta nós querermos e nos entregarmos de corpo e alma algo que queremos muito realizar e veremos depois que o resultado final, vai muito para além das expectativas e do imaginado. Se não conseguires chegar até onde queres, procura outro caminho que vá dar ao mesmo sítio e se não houver mais caminhos, constrói o teu próprio.
A vida é difícil, todos nós temos momentos maus e precisamos de descobrir onde encontrar forças para os ultrapassar. É neste círculo nos nossos amigos, nos nossos amores, na nossa família, que descobrimos que não somos perfeitos, nós temos falhas, temos tantos erros…somos tão fracos. Mas é também aí, que nós podemos descobrir o que somos e o que valemos, amar é também reconhecer os nossos erros, e quando o amor é verdadeiro o sacrifício não dói.

És tu na tua vida, na tua vida, quem no final vai decidir como vai acabar, és tu quem verá no final, que a viagem é mais importante do que o destino a chegar, és tu quem vai se dar conta que tudo o que tinhas na tua cabeça, não passava de pensamentos sujos, cheios de pó, e imensa poeira. E de que tudo o que precisavas era de recomeçar a vida de uma forma diferente, começando do zero, tudo de novo.
Se achares que não podes mais, que não consegues mais, dá uma olhadela à tua vida, procura aquilo que não está correcto e muda! Para tu estares aqui, hoje, houve algo, alguma coisa que te motivou, que te deu força, garra e coragem para caminhares até aqui, se mudares agora alguma coisa, o final também mudará. Está em ti mudar, em seres tu próprio, aquilo que ambicionas ser.
Se por ventura, não estás minimamente satisfeito com a vida que tens, luta, muda, faz acontecer, e recomeça do zero, nunca é tarde para recomeços. Se não tentares nunca irás saber, pior do que não conseguir é nunca ter tentado. Tens de lutar, vivendo a vida, um dia de cada vez. E acredita no impossível, pois ele existe. Recomeçar uma vida, é não voltar para trás, é esquecer o que aconteceu e viver o presente, mais propriamente cada momento, aguardando a chegada do futuro.
Há alturas na vida em que precisamos de mudar de (l)atitude. Ter essa coragem. Precisamos sair um bocadinho da nossa zona de conforto e aceitar que o princípio também pode ter fim. Abrir os braços aos recomeços, agradecer por tudo o que temos e desejar que a vida (tão sábia e previdente) nos conduza sempre pelo melhor caminho. É preciso ter humildade para admitir que não estamos sempre certos e que pedir desculpa por erros e falhas é sinal de maturidade e não de fraqueza. E depois deste exercício urge virar a página e seguir em frente.
É que uma mudança, naturalmente imposta por outras mudanças, é um momento de renovação. E para a viver em pleno e aproveitar tudo o que tem para nos dar é preciso parar de olhar para trás, projectar o olhar no horizonte e confiar no que está por vir. Com fé, muita fé. Fé em nós, nos outros e em tudo o que de bom merecemos receber.

Ter alguém completa-nos, faz-nos sentir acompanhados, seguros, protegidos e não na profunda solidão, tristonhos, sem ninguém à nossa volta, com um enorme vazio dentro de nós, como se uma parte de nós estivesse incompleta, perdida algures por aí, esperando ser encontrada. Talvez esse vazio todo que nós sentimos, seja por coisas bem simples mas que hoje fazem imensa falta.
Se não consegues aquela pessoa especial que tanto precisas na tua vida, vive a tua vida e quando realmente conseguires essa pessoa, vais apreciar muito mais da vida, vais passar a dar valor a coisas que nunca pensaste dar, vais te sentir amado e vais amar, vais te sentir diferente, como se fosses outra pessoa. O amor tem destas coisas.
Se algo de bom ou menos bom aconteceu ontem ou até mesmo hoje, é porque estava escrito assim, foi apenas o destino que estava traçado com esse determinado objectivo.
Todos nós temos fases, alturas boas e menos boas, durante a nossa vida!
A vida é bela para quem gosta de viver, por vezes rimos, choramos, tudo isso faz parte do que é viver uma vida. Ela ensina-nos muito por ela própria, à medida que vamos vivendo a experiência, com os nossos erros e falhas, com as pessoas que existem por este mundo.
Acredita. Nada acontece, simplesmente porque sim, por mero acaso (…) e se tu não estás feliz? É porque amanhã, vais ter a maior felicidade do mundo!

A filosofia é vida, e vivendo descobrimos as respostas!

0 comentários:

Enviar um comentário