domingo, 25 de novembro de 2012 - 0 comentários

Custa Tanto...

Custa tanto, custa tanto ver um dia a passar e tudo continuar igual, tudo sempre na mesma, custa tanto tudo o que eu estou a passar, custa tanto não ter aquela pessoa, não ter cá o meu irmão, custa tanto viver mais um dia, custa tanto ouvir disparates da boca das pessoas sobre a minha vida, custa tanto tentar se calar só para não perder a razão e não arranjar nenhuma confusão, custa tanto ver todos os outros bem e felizes e eu não estar, custa tanto ver todo o mundo a me virar as costas, a não me querer perceber, custa tanto não ter um apoio, um suporte, um amigo verdadeiro, sincero e leal, custa tanto estar assim, ou ainda pior todos os dias da minha vida...
Não me sinto nada bem, a noite passada mal dormi por causa da chuva imensa que deu e por tudo o que eu tenho na minha cabeça.

De manhã convidaram-me para ir ao café, mas eu não quis, não estava com disposição alguma, e decidi ficar em casa, deitado no meu sofá. É verdade finalmente eu já tenho a sala pronta, com sofá e TV, tinha me esquecido de dizer isso à uns dias atrás. Tudo o que me aconteceu vêm-me à mente e magoa-me. Eu não quero saber, não quero, de pessoas com casos piores que o meu. O meu é preocupante, bastante difícil e não é simples, tem sido muito difícil, não é propriamente nada simples de aceitar tudo o que me acontece, o que sinto por dentro. É complicado eu querer que as pessoas me entendam e não haver niguém que me entenda. Eu sei que por vezes é dificílimo para as pessoas entenderem determinadas coisas, mas será que não existe ninguém, que entenda sequer o bocadinho do que estou a sentir. vezes as pessoas só entendem os problemas quando eles são um braço partido, uma dor de barriga. Por vezes as pessoas só entendem os problemas quando eles são um braço partido, uma dor de barriga, ...

Só eu, apenas eu sei aquilo que custa sentir o que eu sinto e o que eu sofro, o quando isso tem-me custado verdadeiramente ... as outras pessoas à volta apenas imaginam o que posso sentir ou sofrer.
É muito difícil, complicado de me sentir com dupla personalidade, é como se existissem duas pessoas completamente diferentes dentro de mim, me sentir bem agora e depois ficar muito mal, de rastos em baixo, ter vontade de gritar e chorar até não poder mais.
Eu estou imensamente farto de tudo. Já não posso com nada, com pessoas, com criticas negativas, com todos os problemas que tenho, com tudo de mau que sinto ....

Esta semana que vem tenho dois testes, mas não estou com capacidade nenhuma, não tenho cabeça nem estou bem para poder fazer essa mais banal actividade.  Perdi a paciência para tudo, não tenho vontade para fazer nada!
Desejo imenso me sentir bem e estar feliz, será que alguém entende o que isso é, e que eu não estou nada bem e preciso de  alguém que me ajude!

Quando eu achar que não posso mais, tenho de pensar naquilo que levou a chegar até aqui, até hoje. Tenho de fazer mesmo algo para resolver as coisas, de uma vez por todas, não posso simplesmente ficar mais parado a ver todas as coisas a acontecerem de dia para dia, a piorar cada vez mais. Eu quero viver, quero ser amado e amar, quero encontrar a minha cara metade, quero receber e dar, quero aproveitar a minha vida ao máximo enquanto posso, quero viver todos os momentos do presente.  Quero ter uma vida digna, quero me sentir bem e estar bem, confiante, com auto-estima, seguro, confortável, sem medos ou impedimentos para fazer algo que desejar. Para tudo isso nem que tenha de frequentar a psicóloga todas as semanas, ficar parado, a pensar, não resulta, não dá ... não mudará nada, tenho de fazer algo acontecer.

Sinto saudades de quando era pequeno, não tinha preocupações nem nada de mais! Foram os melhores anos da minha vida, era tudo tão, tão diferente!

0 comentários:

Enviar um comentário