sábado, 10 de novembro de 2012 - 0 comentários

Quando o Tempo Pára!

Novamente parece que o tempo parou (...) F. sinto uma extrema saudade tua, já não suporto mais estar sem falar contigo, tenho saudade das nossas conversas, saudade de tudo .... saudade de quando dizias coisas para rir, tenho saudade de te ver, de compartilhar os meus problemas contigo, de passar tardes inteiras à conversa. Tenho saudades de me isolar nas coisas boas, de não pensar nas tristezas e amarguras, da vida que tinha antes, tenho saudades de ser eu, eu mesmo!

Às vezes sinto uma enorme vontade de te dizer tudo aquilo que tem de ser dito, mas acabo por não dizer nada,  falta-me toda a coragem para seguir em frente e ir falar contigo, esclarecer tudo e recuperar a nossa amizade, tão boa que ela era, nunca tive uma amizade destas, como a tua, és único, foi um dito mero acaso apareceres na minha vida! Continuo receoso em relação a dar o primeiro passo, tenho muito medo da tua reacção...não sei o que te dizer, apenas desejava que estivéssemos bem nós os 2!

Quero estar bem me sentir bem, valorizado, amado, acarinhado, feliz, protegido, único, quero me sentir acompanhado por ti, até ao infinito .... quero me sentir a melhor pessoa do mundo inteiro, quero ser insubstituível, quero que me digas que sou importante para ti, quero sentir a felicidade, nem que seja por um bocadinho!
Felicidade...já não sei ao certo o que isso é, tenho levado uma vida demais dura, cheia de múltiplas e infinitas marcas, dia após dia, tudo me acontece!

Para onde vou? Grito, fujo, esqueço, corro, choro, isolo-me, questiono-me, procuro respostas e explicações, estou triste, muito magoado, tenho o coração todo despedaçado ... a mente apavorada, apenas já não sei o que pensar, como olhar a vida, sinto um gigantesco vazio dentro de mim, é como se algo faltasse para me completar, como se eu fosse um puzzle com metade das peças!
Sinto-me lá bem no fundo, a morrer, sem respostas, sem vida, força nem esperança, sinto-me pior do que lixo, já não sei o que sentir, o que pensar, o que fazer...

Sinto que os outros podem ser felizes e eu não, quando vejo um casal penso, "Será que eu não posso sentir o que é o amor?", será que não tenho os direitos de ser feliz, de sentir a felicidade, como toda a gente. Devo ter apenas o direito de sofrer demais, sofrer com tudo na vida, ultimamente, ninguém me compreende, ninguém faz ideia do que sinto cá dentro, ninguém faz ideia do que custa, apesar de não demonstrar o que eu sinto, magoo-me vezes sem conta, fico triste como a noite, sofro e sofro muito, choro agarrado a almofada, sinto imenso a falta 'dela', falta de um beijo, de um abraço forte e reconfortante, noto que estou só, que já nada me faz feliz, que a minha vida tem sido sofrimento atrás de sofrimento, que estou numa ravina sem fim, escura, sem luz, sem cores vivas e alegres....

Só queria que tudo fosse diferente...
Só queria ser feliz!

0 comentários:

Enviar um comentário